quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

Eu na Cova dos Leões

Sempre é bom sair do psiquiatra. Ele pediu que eu procurasse ouvir músicas que gostasse para afastar aqueles pensamentos.

Decidi ir malhar. Assim posso espantar do corpo a angústia ao mesmo tempo.

No mp3, Legião Urbana, o timbre mais-que-perfeito:
Aquele gosto amargo do teu corpo ficou na minha boca por mais tempo de amargo então salgado ficou doce...

A letra foi engrossando nas camadas do cérebro:
felação,
sexo oral,
boquete,
blowjob,
bolagato.

Tenho a mente pervertida, constato. Renato segue dissonante:

Teu corpo é meu espelho e em ti navego...

É androcentrismo, do puro. Era um caso dele, só isso. Afinal, ele jura segredo na letra.

Não é misoginia.

Algumas distinções existem para que eu viva melhor: por exemplo gostar muito mais de homens que de mulheres não é o mesmo que odiar.

Nem todas as canções gay têm ódio às mulheres embutido. São letras que simplesmente desconsideram nossa existência, mero desvalor.

Não, não há terrorismo. Renato Russo é um gay genuíno. Muito diferente dos neogays fabricados pela mídia. O marketing fabrica isso para vender mais, é óbvio. O neogay é mais que dragqueen: compra mais que duas mulheres juntas.

Gay verdadeiro é gay antes que achassem bonito. Antes de achar chique ter franja. Antes da moda hetero+homo= hemo. Renato Russo é um gay roots. Não faz apologia, não tem medo das mulheres, não traz mensagens embutidas, dissimuladas tipo o Jacko.

Tenho pavor de manipulação. Franqueza, por outro lado, a-do-ro.



Daniel na Cova dos Leões
Aquele gosto amargo do teu corpo
Ficou na minha boca por mais tempo
De amargo então salgado ficou doce,
Assim que o teu cheiro forte e lento
Fez casa nos meus braços e ainda leve
Forte, cego e tenso fez saber
Que ainda era muito e muito pouco.

Faço nosso o meu segredo mais sincero
E desafio o instinto dissonante.
A insegurança não me ataca quando erro
E o teu momento passa a ser o meu instante.
E o teu medo de ter medo de ter medo
Não faz da minha força confusão
Teu corpo é meu espelho e em ti navego
E eu sei que a tua correnteza não tem direção.

Mas, tão certo quanto o erro de ser barco
A motor e insistir em usar os remos,
É o mal que a água faz quando se afoga
E o salva-vidas não está lá porque
Não vemos

7 comentários:

  1. Parabéns pelo blog.
    Inteligentíssima.

    ResponderExcluir
  2. Gosto muito de Legião.
    Desde as margens do Rio do Carmo saio a convidar meus amigos do mundo, para que vejam a poesia que falo, o conto que conto e a crônica que narro. Você não conhece o Rio do Carmo? Não lhe culpo de nada. É tão pequenino o meu lugar. Mas ainda assim eu falo, pois é mundo, e quando se é mundo nunca falta o que falar.

    Abraço do Jefhcardoso e lhe espero no http://jefhcardoso.blogspot.com.

    ResponderExcluir
  3. Kkkkkkkkkkkkkk! Gostei e ri pacas. Carpinejar teve bom gosto em passar por aqui.

    ResponderExcluir
  4. Te mandei uma mensagem pelo blogger. Gostaria que lesse. Abraço!

    ResponderExcluir
  5. Carpinejar indicou o blog no twitter e resolvi conferir! Muito bom, inteligente, sarcástico, interessante e gostoso de ler. PARABÉNS! Vc é uma pessoa interessante, um tanto quanto engraçada! Afinal, inteligência é afrodisíaco! hehe...

    ResponderExcluir
  6. Adorei o blog ... Mundo Fálico !!!
    Visitei o do colega jefhcardoso, também adorei...
    Deixarei meu Blog, meu cantinho para vocês visitarem e se gostarem me sigam. um big Abraço!

    http://janethcrysselle.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir